domingo, 24 de junho de 2007

AGORA COM MAIS TEMPO

Caríssimos leitores e caríssimas leitoras. Este blog surgiu com uma grande expectativa dos resultados que poderia ter. Porém, devido a provas na faculdade nessas últimas semanas, não foi possível continuar por esse blog o combate ao cerco midiático despolitizado imposto à população. Dentro desse contexto, anuncio que, agora que estou de férias da faculdade, o blog vai continuar o combate à mídia de forma mais intensa e para não passar em branco, ficará abaixo algumas considerações.

Uma boa leitura a todos e fiquem à vontade para se colocarem pró e contra as postagens.

- Lamentável a entrevista do escritor peruano Mario Vargas Llosa ao repórter Edney Silvestre, no Jornal da Globo, há mais ou menos duas semanas atrás. Para Llosa, a palavra liberalismo significa a conquista das liberdades individuais humanas. Ou seja, 2/3 da humanidade estão condenados a fome e o atual modelo econômico vigente no mundo tem sua origem no liberalismo clássico de Smith: os problemas sociais serão naturalmente resolvidos pelo mercado. Essa é a liberdade defendida por Llosa, que afirmou ter medo do "populismo" na América Latina e das ditaduras de Chavez e Fidel. Digam a ele que quem financiou as ditaduras militares nas décadas de 60 e 70 foram os EUA, principais defensores do liberalismo.

- A grande mídia cai em incoerência. Quando da queda do avião da Gol durante as eleições ano passado, deixou de noticiar o acontecimento para tentar alavancar a candidatura Alckmin com o escândalo do dossiê. Não tendo dado certo a tática, visto o crescimento de Lula no segundo turno em relação ao primeiro, ela agora quer derrubar o governo de qualquer forma escandalizando o atraso dos vôos nos aeroportos. O que a mídia quer? Que os controladores de vôo continuem a operar além do limite estabelecido para cada controlador ou que a Infraero também seja privatizada como na era FHC?

- Dois repúdios: o primeiro à matéria sensacionalista e infundamentada da Revista Veja sobre a indenização paga à família do Capitão Carlos Lamarca. Bolsa Terrorismo foi o que aconteceu durante as privatizações na era FHC. Enquanto o patrimônio do povo brasileiro era esbulhado por FHC e seus comparsas, o dinheiro das privatizações tomava rumo ignorado. A Veja também não tem moral para dizer que Lamarca queria implantar uma ditadura comunista no Brasil. Primeiro porque os autores dessa caluniosa, injuriosa e difamatória matéria não conhecem nada de ciência política e marxismo, pois o comunismo é o fim das classes sociais e do próprio Estado. Segundo porque Lamarca não queria implantar nenhuma ditadura no Brasil. Ele desertou do Exército para lutar contra a ditadura que essa instituição instaurou patrocinada pela CIA e pelo FBI e apoiada por grande parte das oligarquias que hoje controlam os meios de comunicação no país.

- O repúdio final fica à ex-senadora e presidente reeleita do PSOL, Heloisa Helena, que durante o I Congresso da sigla que preside disse que renovaria a concessão da RCTV (veja posts abaixo) e preferiria ter três minutos no Jornal Nacional para falar o que pensa. A Veja e a Globo com certeza pularam de alegria!

Lucas Rafael Chianello, além da grande mídia.

Um comentário:

  1. Cara, como já diria a comunidade no orkut,
    Heloisa Helena é só fachada.

    Parabéns pelo Blog!

    Abraçao,
    Frank.

    ResponderExcluir

Instruções para comentários:

1 - serão removidos pelo moderador aqueles que não estiverem relacionados com o conteúdo da postagem e/ ou conter palavras de baixo calão ou inapropriadas;

2 - para publicar seu comentário, você pode fazê-lo usando sua conta do google. CASO NÃO TIVER A CONTA DO GOOGLE OU PREFERIR NÃO USÁ-LA, escolha a opção Nome/URL e deixe a opção URL em branco que não haverá nenhum problema.