domingo, 17 de fevereiro de 2008

PIG X MÍDIA ALTERNATIVA

Por Hudson Luiz

Começa a surgir na grande imprensa e no chamado PIG um movimento orquestrado com o intuito de desmoralizar, desqualificar e marginalizar aquilo que hoje vem sendo chamado de mídia alternativa e que aos poucos ganha corpo. Essa mídia alternativa, blogs e sites com conteúdo político independente, no geral se contrapõe à mídia controlada pelo grande capital, a mídia como puro e mero comércio e não como formadora de opinião e/ou utilidade pública. Alguns jornalistas pagos sobejamente para dizer ou escrever o que seus patrões querem, iniciaram essa semana a ofensiva contra esses espaços livres de influência e pressões comerciais dentro da Internet, criticando seu conteúdo. Parece ser sintomático essa atitude depois que o Movimento dos Sem Mídia – liderado pelo blogueiro Eduardo Guimarães – ter tomado a iniciativa de apresentar ao Ministério Público uma denúncia de atentado à Saúde Pública pelos meios de comunicação ao fazerem uma campanha alarmista incitando os cidadãos a se vacinarem contra a febre amarela "fossem de onde fossem" e "antes que fosse tarde".

Mais o PIG se viu, ainda que de forma branda, desgastado com as denuncias sobre cartões corporativos do governo federal, enquanto o governo paulista na atual gestão usa do mesmo tipo de cartão e gastou mais que o governo federal, inclusive em saques feitos na boca do caixa. Só divulgaram o SerraCard depois que o site de Paulo Henrique Amorim denunciou e o assunto começou a repercutir e no medo de, aí sim, uma acachapante desmoralização caso se calassem.

No caso dos cartões corporativos, como em outros, não se trata aqui de uma disputa entre peitstas e tucanos para saber quem tunga mais o dinheiro do povão, mas sim de colocar o pingo nos is. É assim que uma imprensa livre de verdade deveria ser em qualquer democracia – pelo menos no plano filosófico – dar a todos os mesmos direitos, fiscalizar a coisa pública e o gerenciamento do Estado, mas aqui no Brasil – digamos a verdade e não fiquemos nos lamentando achando que isso é uma jabuticaba, que só acontece no Brasil, em quase todo o mundo é assim – a imprensa só investiga o que lhe interessa, ou melhor, o que interessa aos seus donos. Um exemplo que salta aos olhos foi o espaço dado aos fariseus tucanos para explicações sobre sua suposta má conduta; espaço inversamente oposto ao que se dá ao PT e seus aliados quando estoura alguma denuncia fantasiosa ou digna de conhecimento do público. Mais e pior, a TV Cultura de SP, uma TV pública que nos últimos 13 anos foi aparelhada pelos sucessivos governos tucanos, foi censurada e não disse uma única palavra sobre o SerraCard. (Esse caso de censura na TV Cultura é mais grave do que se imagina, pois denota-se aí um verdadeiro amordaçamento da imprensa, ademais trata-se de um veículo de comunicação que na realidade é uma TV pública. E a Cultura se diz: exemplo de TV pública. Imagine se isso acontecesse na Venezuela!!!).

Todavia o PIG vem caindo em descrédito muito por causa da sua própria atuação nos últimos tempos como agente golpista e porta-voz de uma direita reacionária e preconceituosa, mas também por conta da popularização da informática e a atuação crescente de espaços mais democráticos na Internet.

Nessa guerra que o PIG inicia contra a mídia alternativa chama atenção a postura do colunista, Clovis Rossi da Folha de SP – e que por uma dessas ironias do destino é casado com a presidente do PSDB Mulher –. Esse colunista chegou a chamar os blogueiros críticos da grande mídia de debilóides do lulo-petismo. Ficarei apenas com a carapuça – que mesmo assim não me serviu – de debiloide, uma vez que dispenso a alcunha de lulo-peitsta, não porque considero isso menos ou mais ofensivo do que ser puramente um debilóide e sim porque não compreendo totalmente o que possa ser este ultimo termo inventado pelo subordinado à família Frias.

Entre meus amigos muitos possuem o seu próprio blog e falando da forma objetiva e clara não vejo neles, ou em mim e meus parcos leitores, nenhum indício de nos tratarmos de debilóides ou algo que o valha. Todavia, isto sim, penamos hoje em dia por estarmos confinados a uma "ditadura do pensamento único", e como em toda a ditadura que se preze, esta também tenta desqualificar àqueles que não comungam de seus interesses, que não seguem sua cartilha ou não se fingem de cegos e guardam para si sua indignação perante esse poder podre e carcomido. A imprensa tupiniquim chafurda no "mar de lama" – sai pra lá Carlos Lacerda –, posa como legitimo fariseu defensor da democracia e se unge como guardiã da verdade absoluta – verdade ditada por ela mesma . Me pergunto quem são os verdadeiros debilóides nessa história?

Seriam os extratos mais baixos de nossa sociedade que assistem ao Jornal Nacional e as telenovelas maniqueístas? A chamada classe média, ou pequena burguesia, que se sente bem informada por ler os editoriais do Estadão ou da Folhona; que embasbacadas batem palmas quando Arnaldo Jabor tece comentários esdrúxulos e patéticos – e sentem orgulho por “acharem que entenderam” aquilo que Jabor disse –; e que clamam por ética e justiça quando no fim de semana defrontam com a capa de Veja? No primeiro grupo, privados de tantas as coisas e que vendem sua força de trabalho por ínfimos reais por hora – quando não centavos – não diria que se tratam de debilóides, mas sim de ignorantes. Ignorantes no sentido de não ter instrução porque a estrutura do sistema assim os quer. Já o segundo é debilóide porque muitas vezes, pode-se dizer sempre, não passam de massa de manobra das elites e aceita esse papel sem resmungar, pois o conforto do seu lar e a certeza de haver pessoas em condição econômica e social bem pior, os leva a agir de tal forma que não se reconhecem como explorados e não burgueses.

Ainda há um outro grupo formado pelas elites dominantes, os verdadeiros burgueses donos dos meio de produção e hoje dos de comunicação também. Os indivíduos desse grupo não podem ser alcunhados de debilóides, pois esses se favorecem do sistema tal como é e está. São defensores do "staus-quo", porque esse foi fundado e definido por eles próprios. E para legitimar esse estado de coisas, clamam por seus "cães de guarda", ou seja os pseudo-intelectuais, aqueles os quais Sartre já havia nos advertido.

Aqui vão alguns links de espaços na grande rede que gostaria de compartilhar com vocês:

http://www.exercitocomunista.blogspot.com/

Do nosso colaborador Renan Nunes.

http://www.viomundo.com.br/

Um dos melhores sites de jornalismo do Brasil, dirigido por Luis Carlos Azenha.

http://www.cartamaior.com.br/

Figurinha marcada entre os que procuram alternativas a grande mídia.

http://www.alemdagrandemidia.blogspot.com/

Do camarada poços-caldense e companheiro de debates e lutas populares Lucas Chianello.

http://www.correiocidadania.com.br/

Grande fonte de informação e alternativa ao PIG.

http://www.revistaforum.com.br/sitefinal/blog/

Aqui você acessa o Blog do jornalista Renato Rovai e se quiser pega um link pra Revista Fórum.

http://carosamigos.terra.com.br/

Site da revista de esquerda mais conhecida do Brasil.

http://edu.guim.blog.uol.com.br/

Blog de Eduardo Guimarães, idealizador do Movimento dos Sem Mídia.

http://pagina12.com.ar/

Site da publicação de esquerda de los hermanos argentinos. Bom pra se ter uma visão mais ampla da política latino-americana.


Hudson Luiz é cientista social formado na Fundação de Ensino Octávio Bastos (FEOB), de São João da Boa Vista (SP).

4 comentários:

  1. A formação de opinião não pode se basear numa visão única da realidade, que além de única é distorcida.
    A imprensa alternativa vem mostrar o outro "lado da moeda", sendo veículo primordial para a formação da consciência crítica e de uma visão mais condizente com a verdadeira realidade do mundo em que vivemos.
    Parabéns, Rafael, por seu "espaço crítico" estar no rol da mídia alternativa.
    Gorete - Itajubá

    ResponderExcluir
  2. Obrigado pela referência ao meu blog.

    A nossa luta, contra esta Mídia Suja que está aí, é árdua e necessária, para termos uma Mídia crítica, mas limpa e bilateral, ou seja, (1) que mostre os dois lados de um Fato, e (2) que uma Opinião seja explicitamente para o telespectador, uma Opinião (e não um fato-opinião, como acontece em 90% dos casos).

    ResponderExcluir
  3. Renan e Maria Gorete, reitero que o espaço está à disposição de vocês para suas publicações. Se queremos um novo mundo, precisamos enfrentar a mídia, principal defensor do status quo no mundo atual. A idéia do blog é essa, provocar uma "dialética da notícia". Por isso, Renan, seu espaço foi publicado aqui.

    Obrigado a ambos por prestigiarem o blog.

    Lucas Rafael Chianello, além da grande mídia.

    ResponderExcluir
  4. antonio barbosa filho - jornalista22 de maio de 2008 18:17

    Estive no encontro "Latinoamerica vs terrorismo Midiático", que reuniu representantes de 14 países em Caracas, no final de março. Ficou claro que os donos da mídia na região, famílias sempre mancomunadas e beneficiárias do poder econômico e político, agem como um fator de desestabilização dos governos populares eleitos nos últimos anos. O caso mais notório foi o golpe e o seqüestro do presidente Hugo Chávez, em abril de 2002, arquitetado dentro de uma emissora de TV e da Embaixada estadunidense. A postura é a mesma em todos os países: uma campanha aberta, sem limites de qualquer espécie, contra os presidentes de esquerda ou centro-esquerda. No Brasil, bastaria citar o caso do dinheiro na campanha eleitoral, coisa dos tucanos, que ocupou mais espaço que a tragédia da TAM. Ou a vacinação desnecessária contra uma epidemia de febre amarela inexistente - que causou mortes, além de pânico. A lista é imensa.
    Decidimos no encontro pressionar nossos governos para um encontro presidencial sobre o assunto Mídia. E nossos parlamentares para criminalizarem tal conduta como "terrorismo", já que a comunicação atualmente é uma arma muito poderosa e está em mãos perigosíssimas, sem Pátria ou qualquer respeito à Democracia. Usemos nossos espaços para propagar esta necessidade.
    Parabéns pelo blog.

    ResponderExcluir

Instruções para comentários:

1 - serão removidos pelo moderador aqueles que não estiverem relacionados com o conteúdo da postagem e/ ou conter palavras de baixo calão ou inapropriadas;

2 - para publicar seu comentário, você pode fazê-lo usando sua conta do google. CASO NÃO TIVER A CONTA DO GOOGLE OU PREFERIR NÃO USÁ-LA, escolha a opção Nome/URL e deixe a opção URL em branco que não haverá nenhum problema.