terça-feira, 30 de dezembro de 2008

50 ANOS DE REVOLUÇÃO

Não há revolução sem consciência - Jean Jaurés

Oportuna e ímpar a frase citada quando se trata da revolução cubana. Tal consciência, popular, é pilar fundamental do socialismo em Cuba. Não é somente a consciência do cidadão que acompanha a política diariamente para exercer e reivindicar seus direitos frente aos órgãos estatais, mas é acima de tudo, e isso é o mais importante, uma consciência histórica, daquilo que era o país antes e após determinado fato.

Desde o dia 1º de janeiro de 1959 Cuba nunca mais foi a mesma. Nem mesmo as imensas atrocidades estadunidenses cometidas contra a Ilha, principalmente o covarde bloqueio econômico, foram capazes de impedir a realização de um projeto de sociedade executado por um povo que escolheu ser dono do seu próprio destino. E talvez resida aqui a maior causa do sucesso deste projeto.

Durante a Guerra Fria, Cuba não pediu licença à União Soviética para executar o seu modelo de socialismo. Liderada por Fidel Castro, tomou por si só a atitude de erradicar o analfabetismo, a fome, a falta de moradia e vestuário e dentre outros inúmeros avanços sociais, como por exemplo a medicina acessível a todos, mostrou ao mundo que é possível proporcionar aos cidadãos a mais plena e infindável busca pela igualdade social.

Não bastasse inserir todos os seus cidadãos na construção da igualdade nos seus mais enumerados âmbitos, principalmente o social e o político, Cuba também deixou, em 50 anos de revolução, sua marca na solidariedade internacionalista. Até então, conforme citado anteriormente, Cuba era o único país da América Latina a ter erradicado o analfabetismo. A aplicação do método audiovisual "Si, yo puedo" (Sim, eu posso) foi decisiva para que a Bolívia presidida por Evo Morales e a Venezuela presidida por Hugo Chávez fossem os próximos países da América Latina a erradicarem o analfabetismo.

Em matéria de relações entre Cuba e Brasil, não podemos esquecer da solidariedade cubana em ter oferecido asilo político para vários militantes brasileiros que fugiram do país para não serem presos pela ditadura militar, assim como para a família desses militantes, como a de Carlos Lamarca.

Tudo isso poderia ter sido colocado a perder quando a URSS, presidida por Mikhail Gorbatchov deflagrou a glasnost e a perestróika. Mas a autodeterminação do povo cubano falou mais alto, quando seu porta-voz, Fidel Castro, desconfiou da proposta política do último presidente soviético. A queda do Muro de Berlim, a devassa neoliberal mundo afora mais o endurecimento do bloqueio econômico através das leis Torricelli e Helms-Burton não foram capazes de tirar Cuba dos caminhos do socialismo e da igualdade. E assim Cuba mais uma vez se afirmava como inspiração alternativa de um modelo político, social e econômico.

Por fim, importante ressaltar que a resistência cubana faz da ilha o único país latino-americano a resistir a golpes de Estado patrocinados pelos EUA na América Latina ao longo da segunda metade do século XX. Enquanto o maior império da história da humanidade, localizado a 200 Km da costa litorânea cubana, promoveu ações militares que culminaram em golpes de Estado de governantes esquerdistas e progressistas na América Latina, como João Goulart no Brasil em 1964 e Salvador Allende no Chile em 1973, lá estava e ainda está Cuba, caminhando em função de seus objetivos e resistindo à força do império estadunidense.

Diversos outros motivos existem para Cuba comemorar o cinquentenário de sua revolução, mas o mais importante é que em meio às suas escolhas, dificuldades e solidariedade internacional, Cuba venceu e continua vencendo diariamente no sentido de mostrar à humanidade que para ela é possível outro caminho além do capitalismo e da exploração do homem pelo homem, nos restando, portanto, reconhecer seus méritos e parabenizar o povo cubano.

Lucas Rafael Chianello, além da grande mídia.

2 comentários:

  1. Rafael:
    É muito bom começar o ano lendo um texto seu.
    A qualidade continua a mesma: conciso, claro, informativo,crítico, inteligente e, acima de tudo, diferente dos veiculados pela mídia.
    Parabéns!!!
    Gorete

    ResponderExcluir
  2. Chianello, você é um comunista que sabe o que defende hein... nossa luta é a mesma camarada....

    ResponderExcluir

Instruções para comentários:

1 - serão removidos pelo moderador aqueles que não estiverem relacionados com o conteúdo da postagem e/ ou conter palavras de baixo calão ou inapropriadas;

2 - para publicar seu comentário, você pode fazê-lo usando sua conta do google. CASO NÃO TIVER A CONTA DO GOOGLE OU PREFERIR NÃO USÁ-LA, escolha a opção Nome/URL e deixe a opção URL em branco que não haverá nenhum problema.