quarta-feira, 22 de julho de 2009

OS PIZZAIOLOS

Na semana passada, após ser perguntado por um repórter se a CPI da Petrobras era uma pizza com sabor de pré-sal, o Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva (PT), respondeu que a oposição no Senado tinha grandes pizzaiolos. Imparcialidade à parte, Lula está certo... certíssimo!

Interessante os critérios usados pela grande mídia ao noticiar o recolhimento de assinaturas e instaurações de CPIs, outrora e atualmente. Não só no Planalto Central, como também nos estados governados pelo PSDB, especialmente o Rio Grande do Sul, que vive talvez a maior calamidade de corrupção de sua história sob a batuta da Yeda Crusius. Sem contar São Paulo, que na época em que foi governado por Geraldo Alckmin, teve cerca de 69 CPIs abafadas pelo reino da tucanalha. Onde a grande mídia destacou sua indignação perante esses casos?

No mesmo dia em que o deputado Edmar Moreira (DEM), dono de um castelo estupido de fraudes contra a previdência e dívidas trabalhistas, foi absolvido pelo Conselho de Ética da Câmara dos Deputados, a frase de Lula somente se tornou oportuna. Mais uma vez terminava em pizza a apuração de denúncias contra um deputado da liga demo-tucanalha.

O principal argumento despolitizado da oposição, via grande mídia, é de que a CPI da Petrobrás acabará em pizza porque o presidente e o relator são membros da base governista no Congresso. Eis que então a máscara da grande mídia cai mais uma vez, para variar.

Salvo engano do responsável pelo blogue, a única CPI durante o governo FHC que teve um presidente oposicionista foi a do futebol, com Aldo Rebelo (PCdoB/SP). Também é preciso recordar à grande mídia que o termo "acabar em pizza" surgiu justamente neste mesmo período. Porém, num período em que o Brasil mergulhava na corrupção da privataria, CPIs que acabavam em pizza consistiam na "maneira sórdida do PT fazer oposição". Enquanto isso, respaldado pelos grandes grupos de comunicação do país, FHC quebrava o Brasil três vezes.

E num momento, como inclusive abordamos neste blogue, em que a Petrobras se coloca como uma das grandes petrolíferas do mundo, no dia em que um deputado da ala medieval do Congresso Nacional é absolvido de uma investigação que acaba em pizza, a grande mídia noticia as palavras de Lula num tom que tenta dar a entender que ele é o grande culpado pela existência de CPIs, como se fosse ele o único responsável por calamidades passíveis de investigações parlamentares.

Lucas Rafael Chianello, além da grande mídia.

SUGESTÃO DE LEITURA

TÍTULO: Chile, 1973: Como os EUA derrubaram Allende
AUTORA: Patricia Verdugo

A radiografia de um dos mais cruéis golps de Estado ocorridos no séc. XX e seu relato fidedigno, a partir de uma complexa pesquisa cujo resultado é a descrição material e despida da ingerência estadunidense sobre o Chile governado por Salvador Allende.


As ações encobertas da CIA e sua estação em Santiago, a ira do então presidente estadunidense Richard Nixon, assim como o patrocínio ao jornal El Mercurio, visando macular a imagem de Allende, demonstram claramente as manobras da inteligência ianque, as quais tinham um único fim: impedir o logro da implantação do socialismo no Chile pela via democrática.

Chile, 1973: Como os EUA derrubaram Allende é leitura essencial para a compreensão deste triste capítulo da história latino americana.

"Enquanto Pinochet escreveu seu nome a ferro, fogo e rajadas de metralhadoras, na galeria dos ditadores criminosos do século XX, o nome do presidente Salvador Allende continuará íntegro, em praças e avenidas, cursos universitários, colégios e estátuas no mundo inteiro. Ano após ano, ao longo do século, novas gerações vão se perguntar quem foi este chileno tornado imortal em nome de seus ideais, da lealdade ao seu povo e da esperança de construir uma sociedade mais justa e solidária".

Caso tenha interesse em comprar o livro, clique aqui.

Lucas Rafael Chianello, além da grande mídia.

quarta-feira, 15 de julho de 2009

INFORME CULTURAL

Ciclo de Oficinas Juventude e Cidadania
O Mundo do Trabalho na Atualidade

Dr. Sílvio Pedro Rodrigues
Advogado, Membro da Intersindical, Consultor Sindical no Sul de Minas e Vice-Prefeito de Borda da Mata (MG)

Diney Lenon de Paulo
Cientista Social

Em continuidade ao Projeto Oficinas da Cidadania, a Associação Cultural Juventude e Cidadania, em parceria com o Instituto Cultural Bella de Artes, promoverá, no próximo sábado, o tema O Mundo do Trabalho na Atualidade.

A atividade a ser ministrada por Sílvio Rodrigues, experiente advogado trabalhista e militante dos movimentos sociais e por Diney Lenon de Paulo, Cientista Social, pretende abordar questões relativas à tão propalada “Crise Mundial”, como a natureza dessa crise, as conseqüências para a economia brasileira e para a classe trabalhadora.

A oficina acontece neste sábado, dia 18 de julho, a partir das 16h00min, no Teatro Nicionelly de Carvalho, na Cia. Bella, Rua Prefeito Chagas, 305, andar PL. A entrada é franca e aos participantes, estudantes e público em geral que participar das oficinas será ofertado certificado de participação.

Participe! Divulgue!

Maiores informações: (35) 3715 5563, Cia. Bella ou (35) 8836 5206, com Diney Lenon de Paulo.

Lucas Rafael Chianello, além da grande mídia.