sexta-feira, 11 de setembro de 2009

E LEGISLAI-VOS EM CAUSA PRÓPRIA, AMÉM!

Na reunião ordinária da Câmara Municipal de Poços de Caldas (MG), ocorrida na última terça-feira, foi aprovado o projeto do Vereador Pastor Waldir Sementile (DEM), que concederá ao também Pastor Paulo Silvano Maximino o título de cidadão poçoscaldense.

Haja vista que sou um estudante de direito, juridicamente, a única coisa que posso afirmar é que a Constituição Federal garante o pleno exercício da liberdade religiosa. Admito desconhecer qualquer disposição legal sobre a concessão do título de cidadão poçoscaldense.

Para muitos, o conteúdo deste artigo é autorado por alguém que veste a camisa do preconceito à crença religiosa. Entretanto, trata-se unicamente de um questionamento cidadão sobre uma homenagem que, em tese, é concedida às pessoas que fizeram algo por uma comunidade.

Não vem, do homenageado, qualquer trabalho desenvolvido no sentido de beneficiar uma comunidade que comporta diversos segmentos sociais. Seu trabalho social está unicamente restrito ao esforços empenhados em divulgar a crença cristã para os fiéis adeptos da instituição religiosa da qual faz parte. Sem dúvidas, uma atividade legítima. Porém, naquilo que diz respeito ao engrandecimento da comunidade poçoscaldense, é uma atividade comum executada por qualquer orador ou sacerdote de qualquer religião.

Durante os oito anos nos quais exerceu a vereança, qual projeto de lei, causa defendida ou polêmica em prol do povo poçoscaldense que marcou a passagem do homenageado pelo poder legislativo municipal?

A falta desta passagem marcante como homem de opinião pública, somada à falta de um trabalho publicamente reconhecido de qualquer natureza (desportivo, artístico, cultural, etc), que envolvesse pessoas além dos fiéis ouvintes de seu ministério, levam a crer o autor deste artigo, nascido e criado em Poços de Caldas (sem jamais ter morado em outra cidade), que a função pública e social de um vereador foi utilizada para se elaborar um projeto de homenagem política a alguém pertencente ao seu próprio meio. E o uso das atribuições públicas de qualquer legislador, em benefício de pessoas e instituições próximas de si, sem ser levado em conta o impacto social provocado, é chamado de legislação em causa própria.

Lucas Rafael Chianello, além da grande mídia.

2 comentários:

  1. “A religião é o suspiro da criatura aflita, o estado de ânimo de um mundo sem coração, porque é o espírito da situação sem espírito. A religião é o ópio do povo.” (Karl Marx)
    “O primeiro teólogo foi o primeiro espertalhão que encontrou o primeiro tolo.”(Voltaire)
    “Exorto-vos, meus irmãos, a permanecer fiéis à terra e a não acreditar em que vos fala de esperanças supraterrestres.”(Friedrich Nietzsche)
    A mais viciosa espécie de homem é o padre: ele ensina a antinatureza.” (Friedrich Nietzsche)
    “Quanto mais próximo se está da ciência, maior é o crime de se ser cristão.” (Friedrich Nietzsche)
    “...as religiões são coisas de gentalha; eu sinto a necessidade de lavar as mãos depois de ter tocado as mãos de um religioso...” (Friedrich Nietzsche)
    “O evangelho morreu na cruz.” (Friedrich Nietzsche)
    “A religião é um veneno em nosso sangue.” (Salman Rushdie)
    “Ultimamente ando lendo só livro de sacanagem: a bíblia.”(José Roberto Iemini)
    “Estou convencido de que as religiões não só prejudicam, como são falsas.” (Bertrand Russell)
    “A Igreja diz que a Terra é achatada, mas sei que ela é redonda, porque vi a sombra na Lua, e tenho mais fé numa sombra do que na Igreja.” (Fernão de Magalhães)
    “O primeiro homem que nasceu inventou Deus para dominar o segundo.” (Gilson da Silva Bernardes. "Cebola")

    Se algum desses estivesse vivo veria que fora brando em suas palavras... até quando?
    ass:Prof. Yuri

    ResponderExcluir
  2. Lamentável a atitude do vereador e mais ainda do primeiro comentarista que banaliza a Bíblia e generaliza a polêmica por causa de alguns que são como o joio no meio do trigo. A Bíblia é mais do que um simples livro e merece respeito ao invés de palavras sem entendimento.

    ResponderExcluir

Instruções para comentários:

1 - serão removidos pelo moderador aqueles que não estiverem relacionados com o conteúdo da postagem e/ ou conter palavras de baixo calão ou inapropriadas;

2 - para publicar seu comentário, você pode fazê-lo usando sua conta do google. CASO NÃO TIVER A CONTA DO GOOGLE OU PREFERIR NÃO USÁ-LA, escolha a opção Nome/URL e deixe a opção URL em branco que não haverá nenhum problema.